Site exclusivo para residentes no Brasil
Diabetes

Prevenção e Causas

A insulina, a glicose e o diabetes

 

A função da insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas, é facilitar a entrada de glicose no interior das células. A glicose é responsável pela produção de energia nas células. Sendo assim, a falta de insulina impede o aproveitamento dessa fonte de energia. Glicose é um tipo de açúcar ou, em outras palavras, um carboidrato.

 

Falando especificamente do diabetes tipo 2, o fator hereditário é um dos mais importantes. Mesmo quem tem essa predisposição genética pode evitar ou retardar o processo com algumas medidas simples, como manter o peso, evitando a obesidade e praticando atividade física. A obesidade é um agravante porque aumenta a exigência do pâncreas. Portanto, se você tem casos de diabetes entre seus familiares, fique atento e não descuide da saúde.

 

Alguns outros fatores de risco:

 

  • Idade superior a 45 anos;
  • Doença cardiovascular;
  • Hipertensão;
  • Microalbuminúria (presença de proteína na urina);
  • Níveis de colesterol HDL <35mg/dL ou triglicerídeos >250mg/dL;
  • Portadores de glicemia de jejum alterada (entre 110 e 126mg/dL) ou após 2h (entre 140 e 200mg/dL) no Teste Oral de Tolerância à Glicose (TOTG); 
  • Mulheres com ovários policísticos que apresentaram diabetes na gravidez ou que tiveram filhos nascidos com peso superior a 4 kg;
  • Uso de medicamentos que podem elevar a glicemia (corticosteroides, diuréticos tiazídicos, betabloqueadores).

 

 

 

 Diagnóstico

 

O teste mais conhecido para apontar a presença do diabetes é a glicemia em jejum de 8 a 12 horas, que verifica o nível de glicose presente no sangue. A glicemia varia bastante ao longo do dia, sendo mais alta após as refeições e menor nos períodos de jejum, podendo oscilar de minuto a minuto.

 

Nas pessoas não portadoras, a variação da glicemia em jejum vai de 70 mg/dL a 99 mg/dL e a da glicemia medida duas horas após uma refeição vai até 139mg/dL.Valores de glicemia de jejum entre 100 mg/dL e 125 mg/dL e de glicemia pós-prandial entre 140 a 199mg/dL são um alerta, é preciso procurar um médico para maiores orientações. O diagnóstico do diabetes aponta glicemia de jejum maior ou igual a 126mg/dL ou de glicemia duas horas após a refeição maior ou igual a 200mg/dL.

 

 

 Glicemia, hiperglicemia e hipoglicemia

 

A quantidade de glicose existente no sangue é chamada de glicemia. Ela depende diretamente da insulina produzida pelo pâncreas e da quantidade de açúcar - ou carboidratos - que ingerimos durante o dia.

 

Quando a insulina produzida não é suficiente para que a glicose seja aproveitada pelas células, há excesso de glicose no sangue ou hiperglicemia. No extremo oposto, a baixa ingestão de carboidrato em relação à quantidade de insulina circulante deixará pouca glicose no sangue, criando um quadro de hipoglicemia.

 

StarBem Mais - Um programa Sanofi.
Av. Major Sylvio de Magalhães Padilha, 5.200 - Ed. Atlanta, Morumbi - São Paulo, SP
CEP: 05693-000 / SAC: 0800-7030014 - Segunda a Sexta das 09:00h as 17:00h
Copyright © - sanofi-aventis Farmacêutica Ltda. Todos os direitos reservados.
Última atualização: 15/03/2016
Site exclusivo para residentes no Brasil.
Nosso conteúdo serve para seu conhecimento e informação.
Em caso de dúvida, procure sempre um médico para orientá-la
quanto ao melhor tratamento e conduta.
Copyright © 2001 - 2016. Todos os direitos reservados.